segunda-feira, 16 de março de 2009

Sentir raiva aumenta risco de doença cardíaca.

Especialistas observam que pacientes que chegam ao hospital com problemas nas coronárias (artérias que irrigam o coração), como infarto ou isquemia, frequentemente apresentam personalidade competitiva, explosiva ou agressiva.

Uma meta-análise de 44 estudos, que deve ser divulgada amanhã no "Journal of the American College of Cardiology", vem ao encontro dessa constatação. O trabalho mostra que pessoas propensas a ter acessos de raiva e agressividade têm 19% mais risco de sofrer de um evento cardiovascular, mesmo quando são saudáveis.

Baseado em dados de quase 80 mil pacientes, o estudo ainda aponta que pessoas com essas características e também com doenças cardiovasculares têm risco aumentado em 24%.Segundo os pesquisadores, uma das formas de a hostilidade contribuir para problemas cardiovasculares são os maus hábitos adquiridos. Para eles, pessoas mais agressivas, em geral, dormem mal, exercitam-se menos, fumam mais e aderem menos a tratamentos de saúde.

Mas os rompantes de raiva também contribuem para o aumento da chance de um evento cardiovascular ocorrer. "Grandes estudos mostram um risco até 70% maior de doenças cardiovasculares em pessoas com tendência a competitividade e agressividade", diz a psicóloga Ana Lúcia Ribeiro, diretora do Departamento de Psicologia da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo.

Durante um momento de agressividade, o organismo libera adrenalina, hormônio que eleva a frequência e a força dos batimentos cardíacos e causa contração das artérias, diminuindo seu calibre. Nessa situação, a pressão arterial também aumenta, e o coração precisa de mais oxigênio, contribuindo para um cenário pouco amistoso àqueles que já sofrem de algum comprometimento das artérias, ainda que pequeno e não diagnosticado. Um eventual entupimento dos vasos leva a um desequilíbrio na oxigenação do coração, podendo causar de isquemias a infarto.

Os efeitos da descarga de adrenalina podem ser sentidos em qualquer faixa etária e sexo. "O universo competitivo, no qual estão mais jovens e também mulheres, é sem dúvida onde se encontram mais problemas cardiovasculares", afirma Ricardo Pavanello, supervisor de cardiologia clínica do HCor (Hospital do Coração).

Dor no peito

A dor no peito pode ser o primeiro sinal de que a pressão excessiva está causando algum dano ao coração. O sintoma, porém, pode indicar esofagite, gastrite ou hérnia de hiato.

O tratamento multidisciplinar do paciente com histórico de doenças cardíacas ou fatores de risco já é adotado nos principais centros e é uma tendência entre os cardiologistas.

É necessário identificar a causa da raiva ou agressividade, com uma autoanálise ou ajuda de psicoterapia. É preciso, ainda, monitorar outros fatores de risco, como peso, pressão arterial e prática de exercícios. "Esse conjunto ajuda a diminuir os acessos de raiva. O paciente fica mais satisfeito consigo e com a vida", diz Pavanello.

Para ele, o médico deve ouvir o paciente e saber como é seu dia-a-dia. "Estamos cada vez mais atentos a raiva, agressividade e estresse porque esses fatores são difíceis de serem quantificados. É possível medir o colesterol, mas a ansiedade, a depressão e a raiva, não. O paciente nem sempre está preparado para mostrar o que acontece. E nem todo médico, para ouvir e lidar com isso", analisa.

Autor: folhaonline.com.br
Disponível em: http://www.bacananews.com.br/4/index.php

9 comentários

Francisco Castro disse...

Olá!

Eu também acho e concordo plenamente com essa pesquisa. Parece ser bem lógico porque quando a pessoa está com raiva, principalmente se for bem forte, afeta o sistema nervoso e coração comerça a bater mais rápido, além de outros sinais que ficam visíveis em nosso corpo.

Abraços

Francisco Castro

O bEM viVER disse...

Francisco, é verdade. Infelizmente eu posso dizer com precisão. Quando estou com raiva, por problemas (...), até minha pressão aumenta. A cabeça dói...POr isso estou tentando superar esse sentimento maléfico.

Lena

ivandro disse...

Venho retribuir seu comentario e dizer obrigado, achei os textos postados muito interessantes, sempre virei, aqui é isso que falta qualidade nós blogs e voçê esta de parabéns.

castrodigital.com.br disse...

raiva não faz bem mesmo pra ninguem. Bom mesmo eh sempre esta de bem, embora nem sempre isso seja possivel.

Sissym disse...

Lena, a raiva não é boa, mas a tristeza profunda ou angústia ainda é pior. Ela é silenciosa e faz danos que mal se notam.

Eu li o que deixou no meu blog... como vê, somos várias. Eu agradeceria se pudesse ler e comentar a poesia quantos dias e quantas noites. Mas comente no diHITT, eu queria saber o que as pessoas pensam, sei que é doloroso, e... até combina com seu tema sobre doença cardíaca, eu mergulho numa impotência tão grande que chego a me sentir muito mal.
Beijos.

ady tisdale disse...

oi me chamo Adna Sheila e tenho historico de doenças no coração, minha medica disse que estou tendo exesso de raiva e por isso estou sentindo dores no paito e falta de ar
(sinto meu coração preso)isso é verdade? e se for como posso controlar?


Att
Adna Sheila
Fortaleza, ce

blogdocatarino.com disse...

A raiva não faz bem para nada, além de prejudicar o coração também prejudica nossa convivência.

drauziomilagres disse...

Por essa raiva para fora é muito importante, mas tem de ser de uma forma bem dosada e administrada. O importante é não nos deixarmos atingir por coisas não tão importantes. Um abraço. Drauzio Milagres.

"Antonio" disse...

OLá obrigado por me seguir estari sempre que puder aqu para ajudar Uma Otima e Feliz Páschoa para vc e Família

Postar um comentário

Leia antes de comentar
- Não use palavras de baixo calão;
- Não use o miguxês, internetês;
- Quer mostrar seu blog? Use a opção Openid
- Receba a resposta por email, clique em Inscrever-se por e-mail".

Design by UsuárioCompulsivo Adaptado por Nandaschme ^
BlogBlogs.Com.Br